Hoje vou apresentar a minha seleção de filmes favoritos com a temática LGBT+. Claro que você vai encontrar clássicos aqui, mas também vai encontrar uns filmes mais alternativos, que raramente vão entrar em outras listas de filmes LGBT+. Leiam até o final, porque meu filme favorito é exatamente o último dessa página. Não se esqueça de comentar quais filmes LGBT+ você mais ama.

#1 Hoje eu Quero Voltar Sozinho

Filme LGBT: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho
Hoje eu quero voltar sozinho (2014)

Para ocupar o topo da minha lista de filmes LGBT+, escolhi um filme brasileiro já bem conhecido. Na trama, assistimos ao desenrolar do romance entre dois estudantes em plena adolescência. Para deixar o enredo mais completo, ao mesmo tempo em que o protagonista descobre sua sexualidade, ele precisa lidar com a mãe superprotetora e com o fato de ser cego.

É muito emocionante ver a jornada do personagem principal em meio a tantos dilemas. O fato de ser um filme brasileiro traz uma identificação muito grande para quem assiste e, além disso, é um filme recheado das cenas mais fofas entre Leonardo e Gabriel.

#2 Azul é a Cor Mais Quente

Filme Azul é a Cor Mais Quente
Azul é a Cor Mais Quente (2013)

Particularmente, eu sou apaixonado em filmes franceses, acho que talvez por causa daquele ditado de que franceses são românticos, quem sabe? Mas esse filme é um dos mais clássicos que existem na temática LGBT+ e um dos grandes responsáveis por popularizar o cabelo azul.

O filme pode assustar por causa da sua duração, mas vale a pena assistir à história de uma jovem de 15 anos que descobre o amor por uma artista plástica. Existe todo um trabalho de roteiro e direção que exploram os personagens em um nível que nos sentimos praticamente em um documentário.

#3 Minha Vida com Liberace

Filme LGBT: Minha Vida com Liberace
Behind the Candelabra (2013)

Gente, esse filme foi um achado na minha vida. Realmente, nunca tinha ouvido falar sobre ele e demorei muito tempo para realmente assistir. O que mais me motivou foi ver a assinatura da HBO na produção, aí resolvi assistir e ver qual era.

No final, acabei me apaixonando pelo filme. Ele conta a história de um pianista famoso, o Liberace, que vive uma vida daquelas bem suggar daddy, ao mesmo tempo em que tenta esconder a sua orientação sexual. A gente se perde admirando a cenografia incrível, rindo da história, odiando o personagem e também criando compaixão.

#4 Amores Imaginários

Filme LGBT: Amores Imaginários
Amores Imaginários (2010)

Não falei que eu amava filmes franceses? Esse é mais um filme francês, mas eu diria que um pouco mais desconhecido pelos grandes sites. Se você está em dúvidas se deve assistir, Xavier Dolan é ator, diretor e roteirista dessa filme que tem todos os traços típicos dele.

O roteiro é basicamente sobre o triângulo amoroso que se forma quando o personagem Nicolas é introduzido e conquista os corações dos amigos Marie e Francis. Os traços e comportamentos de Nicolas deixam os amigos confusos sobre seu real interesse e começa um divertido embate entre eles pelo boy dos sonhos. Quem nunca, né?

Apesar desse leve roteiro, você vai ficar encantado com a fotografia, a cenografia e, especialmente, com a trilha sonora maravilhosa de Bang Bang, em francês. É um filme ótimo se quiser assistir com seu crush.

#5 Me Chame pelo seu Nome

Filme Gay: Me Chame Pelo Seu Nome
Me Chame Pelo Seu Nome (2017)

Esse filme foi muito polêmico quando do seu lançamento, porque seu enredo envolve o romance de um jovem de 17 com um homem de 28 anos. O jovem de 17 anos é Elio, que está na casa de férias numa das regiões mais lindas da Itália, que descobre novos sentimentos em relação a Oliver, um acadêmico que veio ajudar na pesquisa do pai de Elio.

É a clássica história de um primeiro amor, envolvendo a descoberta da sexualidade de Elio e a admiração que ele nutre a cada dia por Oliver. A cena mais clássica mesmo desse filme é o jogo de nomes que eles fazem, mas o maior destaque é a atuação de Timothée Chalamet (Elio), que nos faz se apaixonar imensamente pelo seu personagem.

#6 Carol

Filme LGBT: Carol
Carol (2014)

A capa do filme entrega tudo. Ele é um sucesso, como podemos ver pelas indicações, tem uma fotografia incrível ambientada na Nova Iorque dos anos de 1950 e conta o romance entre duas mulheres com idades bem diferentes.

Carol é a mais madura das personagens, já tendo passado por um divórcio e que agora mantém uma relação escondida com Therese. A estética do filme é impecável e podemos ver claramente o conflito entre uma mulher experiente que tenta proteger sua intimidade e uma jovem deslumbrada com seu futuro em plena NY.

#7 O Segredo de Brokeback Mountain

Filme Gay: Brokeback Mountain
O Segredo de Brokeback Mountain (2005)

Para mim, acho que foi a primeira vez que fiquei sabendo de um filme LGBT+ . Por conta da família de onde vim, esse sempre foi um filme proibido de se assistir. Um belo dia, a curiosidade superou a preguiça de assistir a um filme tão longo e, olha, valeu muito a pena (e nem era tão gay assim quanto eu imaginava).

Quando a gente analisa o contexto, quer dizer, a época em que foi filmado e a masculinidade cultural associada aos cowboys, temos que dar os créditos ao filme só por ter tocado neste ponto. O sentimento e o amor avassalador que se desenvolve e não é esquecido por mais de 20 anos nos ensina uma excelente lição sobre amar.

#8 Tomboy

Filme LGBT: Tomboy
Tomboy (2011)

A lista está cheia de filmes que envolvem gays e lésbicas. Por isso, é preciso espaço para mais um filme francês e, agora, envolvendo a transexualidade. E, de verdade, é um filme para assistir de forma leve e entender melhor a identidade de gênero. Ah, aproveitando a ocasião, recomendo também a leitura da entrevista com a Bianca Alves, feita aqui no Blog.

O filme conta a história de Laure, uma menina de 10 anos de idade, que passa a se apresentar como menino. A gente vê o nascimento de amizades, de paixão e de preconceito. O filme tem cenas que nos fazem pensar, por exemplo, quando a irmã mais nova apoia Laure ser um menino pois acha mais seguro ter um irmão para defendê-la.

É um filme bem rápido, com uma história envolvente e que nos mantém sempre analisando e buscando entender a identidade de gênero, ao mesmo tempo em que critica de forma contundente o preconceito.

#9 Priscila Rainha do Deserto

Filme LGBT: Priscilla a Rainha do Deserto
Priscilla, a rainha do deserto (1994)

Sim, gente, existiam drag queens antes da primeira temporada de RuPaul’s Drag Race e esse é um dos filmes clássicos que conta a história de 2 drag queens e 1 trans que cruzam a Austrália no ônibus Priscilla.

Essa comédia inaugurou um dos jeitos mais divertidos de abordar a cultura drag, a homossexualidade e a transexualidade. Além disso, o filme tem uma trilha sonora incrível, figurino maravilhoso e, claro, é um dos maiores ícones em termos de filme LGBT+ que existem até os dias de hoje.

10# A Garota Dinamarquesa

Filme Trans: A Garota Dinamarquesa
A Garota Dinamarquesa (2016)

Como falei, deixei o meu filme favorito para o final dessa lista de filmes LGBT+. Vale também ressaltar que este filme também foi muito aclamado pela crítica. Detalhe: ele é inspirado em fatos reais e mostra em detalhes toda a transição de Einar em Lili, o que resultou numa das primeiras cirurgias de redesignação sexual do mundo. Eu não sei nem o que falar deste filme. Ele é simplesmente perfeito!

O enredo é o desenvolvimento da identidade de gênero de Einar, enfrentado por ele e por sua esposa. Quem está no papel é o Eddie Redmayne, o mesmo ator de Animais Fantásticos, e a atriz que faz sua esposa ganhou Óscar.

O filme é perfeito. Por isso, nada melhor do que você assistir ao trailer desse que, na minha opinião, é o melhor filme LGBT+ de todos os tempos:

Conheça a The Pride

A The Pride é uma marca 100% LGBT+, fundada em Brasília, com uma coleção exclusiva que você só encontra em nosso site. Dá uma olhadinha nessa seleção incrível: