Antes de você começar essa leitura sobre como se assumir, é importante ter em mente que essas são apenas algumas dicas, que podem ou não ser adequadas para cada pessoa. Já que cada indivíduo tem uma realidade diferente, mora em diferentes lugares e tem diferentes famílias e amigos, não existe receita do bolo para se assumir nem uma fórmula mágica que vai fazer tudo dar certo no final. Pelo contrário, o que existem são algumas dicas para você levar em consideração na hora de se assumir e que estão nesta publicação.

Antes de saber como se assumir, é preciso se entender

Então, essa é a dica de ouro #1: entender-se em primeiro lugar. Por isso, antes de se assumir, você precisa saber quem você é e como você se identifica, sendo que você não é obrigado a se rotular nem a entrar em nenhuma caixinha pré-definida.

Além disso, se entender é uma etapa fundamental que vai auxiliar a fortalecer seu discurso, a construir poderosos argumentos e explicar melhor quem é você. Afinal, é muito mais fácil compreender e aceitar aquilo que a gente entende e conhece.

Portanto, estude bastante e pesquise sobre temas LGBT+ que vão te ajudar a se conhecer melhor e a rebater qualquer objeção que possam te fazer. Converse com pessoas do meio, acompanhe notícias LGBT+ e se inscreva no canal de youtubers que falam sobre o tema. Conhecimento é poder, mana!

Cada um se assume no seu tempo

Pois bem, mais uma vez uma dica que é super relativa: qual é o momento certo para se assumir? A resposta mais rápida é “cada um no seu tempo“. Em todos os casos, se assumir é um processo irreversível, portanto você precisa ter certeza do que está fazendo e que é o momento correto. Por isso, não se sinta pressionado(a) nem se pressione e apenas dê o passo para se revelar quando estiver preparado(a).

Assim, é meio difícil falar disso porque é super difícil conviver com uma identidade que não é a sua. Entretanto, pode haver casos como uma família muito homofóbica, com riscos de te expulsarem de casa. Daí, nesses casos, a hora de assumir se torna uma decisão muito estratégica e, então, vale a pena pensar em se assumir apenas quando você conquistar a sua independência financeira, deixando a porta do armário fechada por mais um tempinho.

Enfim, a hora certa é uma questão de feeling de cada um, que vai analisar os riscos e benefícios dessa decisão. Lembre-se do que falei lá em cima: não se sinta pressionado(a), analise com cuidado e escolha o momento certo para descarregar esse peso das costas.

Existe idade para se assumir?

Então, nesse tópico, posso dizer que já vi gente muito nova se revelando e que também já vi gente bem mais velha, com filhos, saindo do armário. Dessa maneira, não existe uma idade certa para se assumir, isso é uma coisa tão particular que vai variar de contexto para contexto, de pessoa para pessoa.

Entretanto, vendo a opinião de algumas personalidades LGBT+ como a Louie Ponto acabei me convencendo de que, se você for ainda muito novo(a), pode não ser o melhor momento para se assumir.

A princípio, fiquei um pouco desconfiado dessa dica, mas acabei cedendo. É porque, quando somos mais novos, podemos ter um pouco mais de dificuldade em argumentar e em se defender das pessoas que insistirão em questionar a forma como nos sentimos. Além disso, se você não estiver com 100% de confiança, esses questionamentos podem até fazer mais dúvidas surgirem. Mais uma vez, você precisa estar confiante antes de embarcar nessa jornada.

Escolha um anjo da guarda para te ajudar a se assumir

Na verdade, esse anjo da guarda é uma figura simbólica. Com isso, quero dizer que você precisa escolher com cuidado um amigo, primo, tio, conhecido, alguma pessoa de confiança e que você saiba que vai te aceitar incondicionalmente.

Primeiro de tudo, se assumir para o seu anjo da guarda (ou anja) vai ser bem mais fácil e pode ser um excelente treinamento na hora de se revelar para a família. Além de te dar segurança, seu anjinho poderá ser um apoio e te ajudar no momento em que você decidir se revelar.

Como se assumir? Escolha um amigo par ajudar
Se assumir pode ser muito mais fácil se você tem alguém da sua confiança ao seu lado

Preparando o terreno: dicas e ganchos

Agora, uma dica de ouro é justamente dar dicas! Use músicas e filmes com temática LGBT+, comente uma notícia, varie no seu look. Faça o seu melhor para dar “pistas” que vão aos poucos introduzindo a forma como você se identifica e preparando terreno para o momento de se revelar. Com isso, aumentam as chances de, em algum momento, alguém abordar o assunto, o que vai ser bem mais fácil para você.

Por outro lado, fique de olho porque você também pode estar recebendo dicas. Atente-se aos ganchos! Às vezes, seus pais e familiares já percebem a forma como você é e vão tentar jogar verde para ver se você pega o gancho e conversa com eles. Pois bem, essa é a situação perfeita, pois demonstra que eles já aceitaram você do jeitinho que é e só estão esperando você falar.

A hora da verdade

Feito tudo isso, só falta o derradeiro momento de dizer a verdade e se revelar. Porém, alguns cuidados são importantes nessa hora. O primeiro deles é: escolha o lugar e o momento certo. Assim, talvez um velório não seja a melhor opção, mas você pode preparar um jantar para a sua família ou assistir a um filme LGBT+ e chamar para a conversa depois.

Além disso, outro cuidado fundamental na hora da verdade é manter a calma, mesmo que as borboletinhas estejam voando no seu estômago. Manter a calma é essencial para conseguir argumentar e se fazer compreender. Por isso, evite brigas e discussões no calor do momento, porque isso pode colocar tudo por terra abaixo.

Na hora da conversa, não faça rodeios. Diga a verdade, apresente fatos e argumentos que você estudou e concentre-se em derrubar objeções. Como falei, se sua família e amigos te entendem e sabem como você se sente, será mais fácil para eles te aceitarem. Por isso, desconstrua os pensamentos infundados e preconceitos, por meio de fatos. Em alguns casos, seus pais podem estar apenas preocupados e, por isso, sua calma é importante para acalmá-los também e ajudar as coisas a fluir.

Em último caso, se você não se sentir confortável com o rosto no rosto, a solução é escrever uma mensagem, fazer uma ligação em vídeo, manter um Whatsapp. Escolha a forma de se comunicar com a qual você se sinta mais confortável para passar essa informação.

Seja paciente e se ame acima de tudo

Mesmo com todas essas dicas, pode ser que alguém não te aceite. E isso não deve ser um problema para você. Então, lembre-se de que você é um ser humano lindo, inteligente e maravilhoso e que existem muitas pessoas que te amam e uma comunidade inteira que te apoia.

Ser LGBT+ não significa que você será infeliz. Muito pelo contrário, você vai ser feliz, pode ter um relacionamento pleníssimo e muitas pessoas que vão te amar super. Lembre-se de sempre se amar em primeiro lugar.

Além disso, mudar a cabeça de uma pessoa retrógrada não é fácil e, às vezes, só podemos contar com o tempo. Conheço casos de pais que só aceitaram os filhos após alguns anos, com uma nova maturidade e mentalidade. Por isso, não perca a esperança, dê tempo ao tempo e se ame sempre.

Para se assumir, é preciso se aceitar
Lembre-se de que você é um ser humano especial, lindo, maravilhoso e pode ser feliz. Não há nada de errado em ser LGBT+

Vista a camisa e se politize!

Agora, uma dica bônis: politize-se! Em primeiro lugar, porque vivemos em uma sociedade misógina onde predominam os padrões heterossexuais e cisgêneros. Por isso, é quase certo que você vai ter que enfrentar o preconceito após se revelar.

Então, politize-se, pois isso vai te ajudar e também vai ajudar muitas outras pessoas que estão passando pelo mesmo dilema. Ajude a desconstruir pensamentos retrógrados, denuncie injustiças, apoie projetos sociais LGBT+ e vista a camiseta da comunidade a qual você pertence. O amor sempre vence o ódio, não é mesmo?

Às vezes, não é apenas questão de como se assumir

Outra coisa muiiito importante. Se você estiver sendo vítima de assédio, agressões ou qualquer comportamento de LGBTfobia, denuncie! Use e abuse do Disque100, afinal de contas, hoje isso é considerado crime!

Se esse for o caso, então você pode conferir esse guia da HuffPost que ensina a utilizar o Disque 100 para denunciar a violência contra pessoas LGBT+ no Brasil.

Sentimos orgulho de ser LGBT+

Para estarmos aqui hoje, em um momento em que a LGBTfobia começa a ser criminalizada, precisamos saber que muita gente já enfrentou de frente o preconceito e algumas morreram nessa luta. Infelizmente, essa luta ainda está longe de terminar e, por isso, devemos sempre ter nosso orgulho LGBT+ vivo.

Para celebrar o orgulho de ser LGBT+, selecionei algumas peças que podem dar uma colorida no seu visual. Afinal, não se esqueça de que não existe absolutamente nada errado em ser LGBT+ e em se assumir. Somos felizes, livres e repletos de amor.

Por fim, lembre-se de que o conteúdo dessa publicação são dicas, e não a verdade absoluta. Cada caso é um caso e, no fim das contas, o momento de se assumir, as dicas usadas e a forma que será escolhida… Bem, tudo isso só depende de você e de como você se sentir.